top of page

Entrevista para Portos e Navios, Camila Affonso, fala sobre o aumento do combustível

Nossa sócia Camila Affonso, em entrevista exclusiva para a Portos e Navios, falou sobre o anúncio do aumento do combustível entregue nas refinarias e como isso impactou o setor de transportes na última semana.


Segundo Camila, o combustível marítimo está mais acostumado com a volatilidade do que combustíveis ‘domésticos’. A relação desse aumento observado nos preços dos combustíveis para o bunker é menos sensível pelo fato de o bunker já ser precificado em relação às cotações do mercado global de commodities.


No caso da cabotagem, sobretudo nos serviços de contêiner, Camila analisou o fato que o tamanho do impacto vai depender da perna rodoviária utilizada pela empresa de navegação para atender a chamada logística ‘porto a porta’. Com o aumento do preço da gasolina e do diesel a nível nacional, a parcela desses combustíveis no transporte rodoviário aumenta. Para os transportes longos por estradas, que concorrem com a cabotagem, como entre o Sudeste e o Nordeste, a sensibilidade do diesel é maior. Já os trechos curtos rodoviários serão menos sensíveis ao aumento do diesel.


Em relação à reforma tributária, o governo discute impostos com características diferentes, mas que ainda não tomaram forma. “Quando se fala da mudança da arrecadação do país, impacta a arrecadação dos combustíveis. Combustíveis no país são parcela relevante da arrecadação. Não dá para criar modelo de arrecadação que não funcione para os combustíveis”, acrescentou Camila Affonso.


Commentaires


bottom of page