Debate sobre programa de subsídio aos combustíveis volta a gerar insegurança no segmento

A venda de refinarias pela Petrobras deve ficar em compasso de espera ao longo de 2022, conforme mostra matéria do jornal Valor Econômico. Em entrevista, Marcus D’Elia, avalia que, para este ano, a possibilidade de acontecer alguma nova venda é praticamente nenhuma.


O recente debate, entre políticos, acerca da criação de um programa de subsídio aos combustíveis volta a gerar insegurança entre os potenciais investidores do segmento. Apenas uma das oito refinarias, a RLAM, na Bahia, foi vendida ao Fundo Mubadala. Outras duas estão com contratos de alienação assinados, porém ainda não concluídos.


Segundo D’Elia, para retomar esses processos, temos primeiro que sair dessa crise para poder reavaliar, e isso vai depender também do resultado das eleições.